terça-feira, 17 de junho de 2008

ESCRITÓRIO - AMBIENTES DE TRABALHO

Espaços integrados e amplos suavizam rotina de trabalho.

O rojeto da administradora de fundos Spinnaker explora as possibilidades da baixa densidade de ocupação. Henrique Reinach e Maurício Mendonça estabeleceram uma setorização, separando as áreas operacionais daquelas destinadas a reuniões com clientes. A integração visual marca o conjunto: os poucos elementos divisórios empregam panos de vidro para preservar a transparência e a luminosidade.

O projeto tirou partido do desenho da planta, quase um quadrado, e estabeleceu uma organização espacial que divide o conjunto em dois setores com acessos distintos.
À esquerda do balcão da recepção, concentram-se as salas de reuniões - a maior delas com avançados recursos para teleconferências -, uma pequena área para ginástica, com equipamentos, sala de massagem e ducha. Há também uma copa exclusiva, utilizada quando as reuniões invadem o horário do almoço. A outra metade é ocupada pelas equipes operacionais, privilegiadas pela ampla sala de convivência, que funciona como espaço de estar e para refeições. Duas saletas de reuniões marcam o limite entre os dois setores e podem ser utilizadas por ambos, esclarece Maurício Mendonça.

Apesar da clara setorização, o conjunto é visualmente integrado. A maioria das divisões é feita por portas ou painéis de vidro e tem função acústica. Esse recurso unifica o espaço e permite aproveitar ao máximo a farta luminosidade natural que incide através de três das quatro faces do prédio. Somente entre as salas de reuniões foram utilizadas paredes de gesso, sempre com o cuidado de vedar os vãos acima do forro, para garantir a privacidade. Nesses ambientes, o fechamento frontal emprega vidro serigrafado.

A reorganização dos espaços incluiu o agrupamento dos sanitários masculinos, antes espalhados pela área operacional. Como são poucas as mulheres na empresa, há apenas um banheiro exclusivo para elas - no entanto, o ambiente é mais amplo e confortável, complementado por ante-sala. Um sanitário junto da copa e da sala de convivência foi desativado e transformado em despensa. O projeto destacou o centro de processamanto de dados (CPD), instalação que os clientes gostam de conhecer, uma vez que o sucesso das transações depende da rapidez na transmissão das informações.

A recepção e a circulação em U são caracterizadas pelo elegante soalho em madeira cumaru. Nas áreas de trabalho, o piso de carpete cria uma ambientação mais confortável. O escritório dispensa hierarquia no mobiliário e apresenta diversos itens desenhados pelos arquitetos, tais como as bancadas nas salas de reuniões, os móveis dispostos nas circulações e a estante da biblioteca. Alguns aparelhos de TV permitem acompanhar o noticiário e o movimento das bolsas de outros países.

Texto resumido a partir de reportagemde Nanci CorbioliPublicada originalmente em PROJETODESIGNEdição 339 Maio de 2008


A principal sala de reuniões dispõe de recursos avançados para teleconferências









Uma das salas de reuniões conta com área de estar











Vista da galeria de circulação para a área operacional








Uma das pequenas salas de reuniões que atendem aos dois setores em que se dividiu o escritório








A principal sala de reuniões dispõe de recursos avançadospara teleconferências











Vista do setor administrativo para as áreas operacionais











A iluminação combina focos de luz direta e indireta. Atrás da divisória de vidro funciona o setor administrativo.









A recepção, vista do hall do elevador.












A área de convivência funciona como sala de estar e de refeições para as equipes.










O painel de vidro azul, com a parte superior transparente, separa a recepção da circulação.











A área de convivência funciona como sala de estar e de refeições para as equipes.











Os diferentes revestimentos do piso identificam as áreas de circulação e de trabalho.








Henrique Reinach e Maurício Mendonça formaram-se em 1980 na FAU/USP e trabalham juntos desde 1987 no escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. Em 1999 foram convidados a participar da exposição Brazil Still Builds, da Architectural Association, em Londres. Desde 2001 estão instalados em prédio próprio, cujo projeto foi premiado pelo IAB/SP em 2002. Receberam ainda prêmios da Asbea e da Bienal de Brasília, entre outros

Fonte: ARCOweb.com.br